Ir direto para menu de acessibilidade.

GTranslate

Portuguese English Spanish

Opções de acessibilidade

Página inicial > Periódicos > Escotilha do Comandante > A VBTP MR 6x6 GUARANI COMO FERRAMENTA ÀS AÇÕES HUMANITÁRIAS DO EXÉRCITO BRASILEIRO
Início do conteúdo da página

A VBTP MR 6x6 GUARANI COMO FERRAMENTA ÀS AÇÕES HUMANITÁRIAS DO EXÉRCITO BRASILEIRO

Acessos: 941

A VBTP MR 6x6 GUARANI COMO FERRAMENTA ÀS AÇÕES HUMANITÁRIAS DO EXÉRCITO BRASILEIRO

 
 
Figura 1: VBTP-MR 6X6 GUARANI empregada no patrulhamento em área humanizada
Fonte: Revista Verde Oliva
 
 
        O Exército Brasileiro (EB), por meio de seus Comandos Militares de Área, realizou, no ano de 2017, diversos Exercícios de Força de Ajuda Humanitária.
      A Divisão de Coordenação Civil e Militar do Comando de Operações Terrestres (COTER) é o órgão responsável pela coordenação e emprego da F Ter em ações subsidiárias, em consonância com o previsto na Lei Complementar Nr 97, de 9 de Junho de 1999 e na Doutrina Militar Terrestre (DMT).
        Se considerarmos os últimos 10 anos, não houve sequer um ano em que tropas militares não tenham sido empregadas em situações dessa natureza. Somente no segundo semestre de 2017 foram conduzidas 17 operações subsidiárias de ajuda humanitária.
      A tropa mecanizada do Exército Brasileiro possui grande mobilidade, versatilidade de emprego, relativa capacidade anfíbia e potencial de comunicações amplo e diversificado. Tais características fazem desta tropa uma ferramenta extremamente útil às operações subsidiárias, como, por exemplo, ocorreu nas recentes operações SANGA CHEIA e ENCHENTE, no Comando Militar do Sul (CMS) (Fig. 2) e ENCHENTE, no Comando Militar do Nordeste (CMNE).
 
Figura 2: Exército Brasileiro em apoio à população na Operação ENCHENTE (CMS)
 Fonte: EB em Revista
 
       A Viatura Blindada de Transporte de Pessoal - Média de Rodas 6x6 Guarani foi o mais recente incremento da tropa mecanizada da F Ter. Este blindado é a síntese das características que fazem da tropa mecanizada tão apta a condução de operações de ajuda humanitária.
       A VBTP Guarani conta com um agregado tecnológico capaz de somar sobremaneira ao complexo ambiente que envolve as operações de apoio à população, tanto em áreas conflituosas quanto em áreas pacificadas.
     O sistema de comando e controle GCB interfaceado ao sistema de comunicações Falcon III com GPS integrado, da fabricante americana Harris permite o envio de vídeos e fotos em tempo real para o escalão superior, possibilitando uma melhor condução das ações e emprego da tropa.
    Uma das características do ambiente carente de ajuda é o multifacetamento de tarefas críticas: distribuição de água e mantimentos, controle de distúrbios civis, segurança de área logística, enfrentamento de grupos adversos armados, entre outras. A proteção blindada existente na plataforma Guarani proporciona a necessária segurança da tropa enquanto permeia áreas de difícil acesso.
       O sistema de resposta às ameaças QBRN Aero Sekur, embarcado nas viaturas, garante o acesso e maior permanência em áreas contaminadas, como no caso de incêndios, poeira ou outros desastres ambientais.
      Como descrito anteriormente, só no segundo semestre de 2017, o EB conduziu três operações de apoio às enchentes. A propulsão aquática Bosch Rexroth A2FM80 que compõe o leque de capacidades da VBTP MR 6x6 Guarani é primordial para o acesso a locais com alagamentos e enchentes e retirada da população necessitada.
      A possibilidade de ser transportado por aeronaves militares garante a mobilidade estratégica para a pronta resposta em qualquer lugar do território nacional no caso de ocorrência de um desastre (Fig. 3). A doutrina de emprego de tropas em ajuda humanitária sempre conta com um Destacamento de Resposta Imediata (DRI), cuja característica é a capacidade de atender, de maneira eficaz e rápida, qualquer necessidade de ajuda humanitária.
 
Figura 3: VBTP-MR 6x6 Guarani embarcando em aeronave C-130 da Força Aérea Brasileira
Fonte: EB em Revista
 
 
       A viatura blindada ainda conta com a possibilidade de observação, sem exposição do militar embarcado, através dos optrônicos incorporados nos Sistemas de Armas Remotamente Controlados (SARC) (Fig. 4). A presença dessa ferramenta aumenta sobremaneira a capacidade de detecção e identificação de problemas quando comparado ao militar que não as possui.
 
Figura 4: Optrônicos do SARC UT-30BR da VBTP-MR 6x6 Guarani
Fonte: EPEx
 
       Com o uso desses materiais, há a possibilidade de se manter as operações durante o período noturno. Duas das características fundamentais das operações de ajuda humanitária são a pouca disponibilidade de tempo para sua condução e a necessidade de não interrupção dos trabalhos até a salvaguarda absoluta da população afetada. Não se aceita a possibilidade de abandono de seres humanos em calamidade no período da noite.
       As Operações de Ações Humanitárias são uma realidade do Exército Brasileiro. O cenário atual, com grande influencia da mídia e da opinião publica, requer uma F Ter capaz de atuar, quando solicitada, com eficiência e acerto em situações subsidiárias. A adoção da VBTP-MR 6x6 Guarani representa um ganho imenso às possibilidades de resposta do EB, as quais estão sendo exploradas e expandidas. Todavia não se deve negligenciar a necessidade de operadores tecnicamente aptos e capazes a levar a viatura ao seu potencial máximo, uma vez que a VBTP deve ser uma ferramenta e não mais um obstáculo na consecução dos objetivos militares pretendidos.
 
 
AÇO, BOINA PRETA, BRASIL!

Diego Castilhos de Almeida – Cap
Comandante do Esqd C Ap do  CI Bld
Carlos Alexandre Geovanini dos Santos – Ten Cel
Comandante do CI Bld
 

 

 
                                                                         
                                                                                                                                                                                                                                                    
registrado em:
Fim do conteúdo da página