Ir direto para menu de acessibilidade.

GTranslate

Portuguese English Spanish

Opções de acessibilidade

Início do conteúdo da página

A Forja 88

Acessos: 760

TEMAS TRATADOS NESTA EDIÇÃO

Viatura Blindada Tunguska

Viatura Blindada Stormer HVM

Viatura Blindada PZA Loara

Viatura Blindada K30 Biho

 

Viatura Blindada Tunguska


1º Sgt Krusche – CI Bld

O Tunguska 2K22 ou 2S6M, é uma Viatura Blindada de Combate Antiaéreo fabricado na Rússia, que teve seu projeto iniciado nos anos 1970, e sua primeira versão entregue ao Exército Russo em 1986 para substituir a arma antiaérea ZSU-23-4. A principal missão do veículo é proteger blindados e unidades motorizadas de aeronaves e helicópteros de baixa altitude, alguns tipos de mísseis, e engajar alvos terrestres com baixa proteção blindada. A Rússia possui pouco mais de 250 unidades. Bielorrússia, Índia, Marrocos, Síria, Ucrânia e Iêmen também utilizam o carro.

 

Figura 1: VBC AAe Tunguska
Fonte: armyrecognition.com
 

A viatura possui como armamento dois canhões duplos 2A38M de 30 mm, construídos pela empresa Tulamashzavod Jont Stock Company, com um regime de tiro de 1950 a 5000 tiros por minuto, e uma vida útil de 8000 tiros cada arma. O canhão é elétrico e refrigerado a água, pode disparar munições HE-T (tandem) e HE-I (incidendiária) e, devido ao rastreamento automático de alvos, e alta taxa de tiro, permite enganjar alvos que estejam em movimento rápido na sua zona de tiro, sendo considerado muito eficaz dentro de suas capacidades.

Possui também, abaixo dos canhões, quatro lançadores de mísseis de cada lado, com capacidade total para 8 mísseis SAMs 9M311 ou 9M311M SA-19 Grison. Cada lançador eleva-se independentemente um do outro e pode atingir alvos que se deslocam até 500 m/s a uma altitude de 3500 m e distância inclinada de 8000 m. O míssil é guiado por radar e possui agilidade que permite atingir alvos rápidos. A primeira versão do carro, possuia 4 mísseis.

A proteção blindada é composta por chapas de aço soldado, que fornece proteção contra disparo de pequenos calibres e estilhaços de granada. O carro é operado por 4 militares, o motorista que fica na parte frontal esquerda, e outros 3 militares que ficam na torre, que são o operador de radar, o atirador e o comandante.

 

Figura 2: tiro da VBC AAe Tunguska
Fonte: https://weaponsandwarfare.com
 

O sistema de radar do Tunguska é chamado de 1RL144M, possui um radar parabólico de vigilância de banda “E” instalado na parte traseira da torre com alcance de 18 Km, e outro de band “J” com alcance de 16 km, instalado a frente. O operador do radar controla o equipamento e envia informações como alcance, direção e elevação ao computador de tiro que faz o cálculo. O comandante usa um Joinstick para selecionar o tipo de arma e envolver o alvo, e pode executar o tiro ou passar para o atirador. Todos tripulantes possuem instrumentos auxiliares para visão noturna.

O motor do veículo consiste no motor V-46-4 turbo de quatro tempos refrigerado a água, que desenvolve 780 Hp, com autonomia de 500 Km e velocidade máxima de 65 Km/h. Pode atravessar valas de dois metros de largura, transpor obstáculos verticais de um metro, e subir rampas de inclinação vertical de 60%, e tem capacidade de 30% de inclinação lateral. Pode transpor vaus de 0,8 m sem preparação.

Possui suspensão hidropneumática, em cada lado do trem de rolamento, com seis rodas de apoio duplas, três rodetes de apoio, uma polia motora na parte traseira e uma polia tensora à frente. Possui um sistema de tensionamento hidráulico controlado pelo motorista, que não precisa sair do assento para ajustar a lagarta. O chassi GM-352M, se aplica ao veículo asim como para outros sistemas de defesa terra-ar como “Buk-1M” e “Tor SAM”.

O carro é utilizado em combate dentro de uma bateria com seis veículos. Outros equipamentos como sistema de aquecimento, sistema de comunicação interna 1V16, sistema de detecção de incêndio, sistema de navegação terrestre, sistema de defesa Química, Biológica, Radiológica e nuclear, fazem parte do veículo.

O tunguska foi produzido nas versões 2S6, que foi a primeira versão do veículo, com 4 mísseis, 2S6M com oito mísseis e a última versão chamada de 2S6M1 que possui interface digital, sistema automatizado de comando e controle, e alcance de 10 Km com o míssil 9M311M. Todas viaturas blindadas Tunguska 2S6M serão atualizadas para o novo padrão.

 

Dados Técnicos

 

Peso Total

Peso do Míssil

34 Ton

42 Kg

Conjunto de Força

Peso Ogiva do míssil / Alcance

V-46-4 Turbo

15 kg / 8 km

Guarnição

Sistema de guiagem

4

Semi-automático através da linha de visada (SACLOS), guiado por radar

Autonomia

Canhão / Ogiva

500Km

30 mm / HE-T, HE-I

 

 

Viatura Blindada STORMEER HVM – Reino Unido


Maj Santiago – C I Bld

A Viatura Blindada de Combate Antiaéreo (VBC AAe) STORMER HVM foi desenvolvida para ser empregada pelo Exército Britânico contra ameaças aeronaves com alta velocidade e voando a baixa altura e helicópteros de ataque. Ela entrou em operação a partir do ano de 1997.

 

Figura 3: VBC AAe STORMER HVM
Fonte: www.military-today.com
 

O STORMER HVM está baseado no chassi da Viatura Blindada de Transporte de Pessoal de mesmo nome, tendo recebido a abreviatura referente a High Velocity Missile para indicar a viatura antiaérea. As modificações no chassi dessa plataforma foram efetuadas no sentido de redução do espaço para a tropa com a finalidade de possibilitar o armazenamento interno de 12 (doze) mísseis.

Seu Sistema de Armas conta, para uso imediato, com 08 (oito) lançadores de mísseis do tipo STARSTREAK fabricados pela empresa THALES, totalizando 20 mísseis em condições de ser empregados sem necessidade de remuniciamento. O Sistema STARSTREAK é considerado pesado e de médio-alcance. Sua faixa de alcance é de 1500m a 5500m, sendo essa distância percorrida em apenas 8 segundos. A altitude máxima para emprego do míssil é de 1000m.

A viatura é equipada com um dispositivo de alerta de defesa aérea (air defence alerting device - ADAD) montado sobre o chassi. O scanner e o processador infravermelho do dispositivo fazem a detecção e a priorização do alvo, direcionando automaticamente o aparelho de pontaria do atirador para a ameaça. Dessa forma, o sistema garante um rápido engajamento do vetor aéreo.

 

Figura 4: Detalhe dos dardos explosivos existentes no STARSTREAK
Fonte: www.thinkdefence.co.uk
 

As primeiras viaturas possuíam guiagem semi-automática do míssel até o alvo. O atirador, através da linha de visada (retículo), indica o alvo para o míssel. Esse direcionamento da ameaça é feito através de um feixe laser que o sistema emite e, por meio de sensores localizados no míssil, o conduzem até atingir a aeronave. Esse sistema de 2ª geração proporciona uma alta probabilidade de acerto desde que o alvo não saia da visada do atirador enquanto o míssil realiza o seu voo.

 

Figura 5: Interior da VBC AAe STORMER HVM do Exército Britânico
Fonte: www.military-today.com
 

O míssil se desloca com cerca de 3 vezes a velocidade do som e possui 3 projéteis explosivos na sua ponta. Esse tipo de projétil pode ser comparado a dardos, permitindo múltiplos danos ao alvo e aumentando a possibilidade de acerto e destruição do mesmo. Com velocidade de cerca de 1250 m/s, a energia cinética do projétil se compara a uma munição 40mm APFSDS-T, com capacidade de penetração em torno de 120 mm RHAe. Com esse poder de penetração, caso seja empregado contra alvos terrestres, o mísseis STARSTREAK têm capacidade de penetrar a blindagem frontal de blindados médios.

Em setembro de 2007, a empresa THALES anunciou a versão STARSTREAK II, no qual teve seu alcance estendido para cerca de 7000m e recebeu melhorias no seu sistema de guiagem.

Em janeiro de 2008, a empresa assinou um contrato com o Ministério da Defesa do Reino Unido até o ano de 2020 onde inclui o fornecimento de um sistema de rastreamento automático de alvos para o STORMER HVM.

 

Dados Técnicos

 

Peso Total

Peso do míssil

13,5 Ton

16,8 Kg (A torre pesa cerca de 2200Kg)

Conjunto de Força

Tipo de Ogiva

Perkins T6 3544 diesel (250HP)

3 Flechas explosivas (900g cada)

Guarnição

Alcance

3

1500m - 5500m

Autonomia

Sistema de guiagem

600Km

Semi-automático através da linha de visada (SACLOS) com guiamento a laser

 

 

PZA LOARA - POLÔNIA


Bárbara Elisa Marmor da Silva
Acadêmica do Curso de Comunicação Social-Habilitação em Jornalismo da UFSM

 

Desenvolvido na Polônia, no final dos anos 90, pela REDWAR S.A. em parceria com outras empresas do estado e particulares, o sistema de armas antiaérea autopropulsado PZA (Przeciwlotniczy Zestaw Artyleryjki) Loara, constitui-se como um sistema blindado guiado por radar.

 

Figura 6: VBC AAe PZA Loara
Fonte: military-today.com
 

Seu protótipo inicial foi desenvolvido a partir de 1994, e finalizado nos anos 2000. Originalmente, o intuito era incluir no Programa o PZR Loara, uma versão de veículos com mísseis, baseados no PZA. Entretanto o projeto foi cancelado.

As primeiras versões do veículo tiveram como base o chassi do carro de combate T-72M, e trouxeram algumas modificações. O compartimento do motorista foi deslocado para o lado esquerdo do veículo; o sistema de suspensão da barra de torção foi reforçado; e o blindado recebeu uma unidade de energia auxiliar, com baterias mais potentes e capazes de operar o sistema eletrônico de bordo.

Atualmente, o veículo é baseado no chassi do carro de combate Polonês Twardy PT-91, constituído por uma torre acionada eletricamente com blindagem de chapa de aço soldado, capaz de proteger a guarnição, composta pelo comandante e o atirador/operador e motorista, contra armamentos de pequeno calibre e estilhaços de granada.

A torre é equipada com dois canhões automáticos Oerlinkon KDA de 35 mm, produzidos na Pôlonia pela empresa Huta Stalowa Wola, ligados a um sistema de controle de tiro orientado por radar, além de dois lançadores de fumígenos de cada lado, com seis tubos cada. O armamento, também produzido na Polônia, é capaz de realizar 550 disparos por minutos, com alcance de tiro contra alvos de até 4km. Cada canhão opera independente, pois cada um possui diferentes configurações de montagem, sendo possível utilizar vários tipos de munição, como AHEAD, FAPDS e HE.

A Viatura possui dois radares, um de busca 3D com alcance de 26 km, capaz de identificar 64 alvos ao mesmo tempo e outro Ericsson Eagle Mk 1, utilizado para operações de engajamento. Os radares podem ser operados em movimento, com atualização de dados por segundo. Possui ainda telêmetro laser DL-1, uma câmera de TV diurna e noturna, que fornecem imagens com qualquer clima e periscópio com visão estabilizada PSPD-1, que amplia até 8x, para o comandante. O tempo de reação é inferior a 10 segundos, entre a varredura e o engajamento do alvo pelo comandante do carro. O sistema pode operar contra aeronaves em baixas altitudes e velocidades de até 500m/s, sendo igualmente eficaz contra alvos terrestres e navais levemente blindados.

O veículo é equipado ainda sistema de defesa DQBRN, e ar-condicionado no compartimento da tripulação. Atualmente, o PZA Loara é utilizado somente pelo Exército Polonês.

 

Dados Técnicos

 

Peso Total

Canhão

45 Ton

35 mm

Conjunto de Força

Munição

1000 Hp

AHEAD, FAPDS e HE.

Guarnição

Alcance

3

4 km

Autonomia

Cadência de tiro

650Km

550 tiros por minuto

 

 

K30 BIHO – KORÉIA DO SUL


Melissa Tais Konzen
Acadêmica do Curso de Comunicação Social-Habilitação em Jornalismo da UFSM

 

O K-30 Biho (Tigre Voador) foi desenvolvido para atender às necessidades do Exército da República da Coreia do Sul no que tange à defesa antiaérea de curto alcance e de grande mobilidade. É uma Viatura Blindada de Combate Antiaérea Autopropulsada (VBC AAAe AP) baseada no chassi da VBTP K200.

O K-30 Biho teve seu desenvolvimento iniciado na década de 1980. Após cerca de 10 anos, entrou em operação na Coreia do Sul em 1999, sendo fabricada pelo grupo Hanwha. Ele é o primeiro sistema de armas desse tipo desenvolvido inteiramente no país asiático.

A adaptação feita no chassi da VBTP K200 para o K-30 inclui a troca do conjunto de força modelo D2848T (350HP) pelo D2840L que possui 520 HP. O aumento na potência faz-se necessário já que o K-30 tem quase o dobro do peso do K-200, possuindo cerca de 25 toneladas. A transmissão foi substituída pela usada na viatura K1A1, gerando maior resistência para uso na VBC.

Projetado principalmente para proteger unidades de manobra avançadas, o Tigre Voador está armado com dois canhões de 30mm. Cada um possui cadência de tiro de 600 disparos por minuto e armazenamento de 300 cartuchos para uso imediato. As munições alto-explosivas fragmentárias (HE-FRAG) são disparadas contra alvos aéreos, com alcance útil de aproximadamente 3000m e alta probabilidade de acerto para alvos voando a baixa altitude.

O veículo possui um radar de vigilância com alcance de 17 a 21 km, além de um sistema de rastreamento eletro-óptico, telêmetro laser, visão termal e um avançado sistema digital de controle de tiro. O K-30 Biho é capaz de operar em qualquer clima e tanto sob condições noturnas e diurnas e está equipado com sistema de identificação de amigo ou inimigo.

 

Figura 7: VBC AAe K 30-Biho equipado com míssil
Fonte: military-today.com
 

Uma nova versão do K-30 Biho foi desenvolvida em 2013, sendo equipada com mísseis terra-ar. Eles possuem alcance de 7 km, podem atingir alvos aéreos de baixa altitude e a viatura tem capacidade de lançar dois mísseis simultaneamente. Com essa modernização, o alcance útil do K-30 mais que dobrou.

O veículo possui guarnição de três militares: comandante, atirador e motorista. Sua blindagem de liga leve oferece proteção contra munições 7,62mm perfurantes e estilhaços de artilharia 155mm a 80m de distância. Além disso, está equipado com proteção QBRN e sistemas automáticos de combate a incêndio.

 

Dados Técnicos

 

Peso Total

Peso do míssil

26,5 Ton

16 Kg

Conjunto de Força

Ogiva

520 Hp

2,5 Kg

Guarnição

Alcance

4

7 Km

Autonomia

Sistema de guiagem

500 km

Termoguiado

 

 

 

 

 

Fontes:

http://www.military-today.com/artillery/2s6_tunguska.htm
https://armyrecognition.com/russia_russian_army_vehicles_system_artillery_uk/2s6_2s6m_sa-19_grison_9k22_9k22m_tunguska_tunguska-m_self-propelled_air_defence_cannon_missile_data_sheet_picture.html
https://www.army-technology.com/projects/starstreak/
https://www.armyrecognition.com/british_united_kingdom_missile_systems_vehicles_uk/starstreak_hvm_high_velocity_short-range_surface-to-air_missile_manpads_technical_data_sheet_picture.html
http://www.military-today.com/missiles/javelin.htm
https://www.armyrecognition.com/united_states_us_army_light_and_heavy_weapons_uk/fgm-148_javelin_infrared_antitank_guided_missile_technical_data_sheet_description_information_uk.html
https://en.wikipedia.org/wiki/PZA_Loara/
http://veiculosearmamentosmilitares.blogspot.com/2019/08/pza-loara.html
http://www.military-today.com/artillery/loara.htm
http://www.military-today.com/artillery/k30_biho.htm
https://es.wikipedia.org/wiki/K-30_Biho
https://www.defesa.tv.br/hanwha-k-30-biho-sistema-de-defesa-aerea-movel-para-o-exercito-indiano/
https://www.armyrecognition.com/january_2019_global_defense_security_army_news_industry/south_korean_sale_of_k-30_biho_anti-aircraft_systems_to_india_threatened.html

registrado em:
Fim do conteúdo da página