Ir direto para menu de acessibilidade.

GTranslate

Portuguese English Spanish

Opções de acessibilidade

Início do conteúdo da página

A Forja 76

Acessos: 486

VIATURA BLINDADA ESPECIAL POSTO DE COMANDO M577 A2


2º Sgt Turchiello - 1º RCC

O 1º Regimento de Carros de Combate, sediado em Santa Maria-RS, recebeu, no início do mês de abril de 2018, 02 (duas) unidades da Viatura Blindada Especial Posto de Comando M577 (VBE PC M577A2), as quais serão utilizadas como Posto de Comando Avançado nas operações do Regimento.

As viaturas são provenientes de um acordo celebrado em outubro de 2015 entre o Exército Brasileiro e o Departamento de Defesa dos Estados Unidos quando foi feita a doação de 34 veículos tipo Posto de Comando M577 A2.

Os carros chegaram em 19 de setembro de 2016, desembarcando no porto de Paranaguá (PR), de onde foram imediatamente transportados para o Parque Regional de Manutenção 5 (PqRMnt/5), na cidade de Curitiba-PR, para a realização de uma manutenção básica e aplicação de pintura camuflada padrão do Exército.

As viaturas foram recebidas através do programa de transferência de material excedente do Exército dos EUA. Periodicamente, o Exército norte-americano desativa parte de seus equipamentos de defesa considerados como excedentes e propõe a transferência desse material a nações parceiras. No caso do Exército Brasileiro, os recursos despendidos foram os de transporte e de inspeção de desembarque que foram orçados em cerca de R$ 2 milhões de reais.

Figura 1: VBE PC M577 A2
Fonte: O autor

Esse investimento é feito por meio do Projeto Estratégico nomeado Obtenção da Capacidade Operacional Plena (OCOP), cujo objetivo é dotar as unidades operacionais do Exército com material de emprego militar.

As viaturas que vão equipar o Exército Brasileiro têm, em média, 30 anos de uso. Apesar desse tempo e da aparência desgastada apresentada quando de seu recebimento, fruto de seu armazenamento no deserto do Sierra Army Depot, na Califórnia, elas estão em excelente estado de conservação. As VBEPC M577 A2 são veículos com pouquíssimo uso, sendo que alguns deles apresentam apenas de 7 a 54 milhas de rodagem (cerca de 11 a 87 quilômetros) e seus horímetros (instrumento que indica a quantidade de horas que estiveram em funcionamento) registrando apenas de 45 a 300 horas, reforçando, assim, a excelente oportunidade aproveitada pelo Exército. Por esses motivos, as VBE não irão passar por nenhum processo de modernização antes de serem colocadas em operação no Brasil.

A produção do M577 começou no início dos anos 1960, tendo sido exportado para vários países. Apesar de sua idade, o M577 ainda é utilizado em todo o mundo. Os maiores operadores são o Egito (44), a Grécia (45) e Portugal (28) sendo, ainda, produzido sob licença na Itália, pela OTO Melara.

Viaturas desse tipo são uma novidade dentro da frota do Exército Brasileiro. As VBE PC M577 são derivadas das VBTP M113 A2, estas sim, já utilizadas pela Força Terrestre. Elas possuem design parecido, mas as viaturas Posto de Comando dispõem de layout interno adaptado, com teto mais alto, medindo 2,70 metros de altura e, aproximadamente, 4,90 metros de comprimento, permitindo acomodar melhor os militares internamente.

A estrutura do blindado é em duralumínio assim como nos M113 e até 40% dos seus componentes são fabricados a partir de ligas leves. Seu peso é de, aproximadamente, 12 toneladas, o motor é um Detroit Diesel 6V53, com 212 HP, que faz com que o blindado atinja uma velocidade máxima em torno de 60 km/h, e o tanque de combustível tem capacidade de 454 litros, garantindo uma autonomia de cerca de 480 quilômetros.

A guarnição da viatura é composta de 5 militares, incluindo o motorista. Os acessos para tripulação entrar e sair do veículo são feitos por meio da rampa traseira, da portinhola e da escotilha do comandante. O M577 possui uma barraca que pode ser presa e estendida, quando o veículo está parado, a partir da retaguarda da viatura, fornecendo um espaço de trabalho adicional para a equipe de comando. Além disso, essas extensões podem se conectar a outras, permitindo que vários M577 estabeleçam uma estrutura maior de Posto de Comando. Quando em movimento, a barraca fica recolhida na parte superior da viatura. No interior do veículo há quadros de mapas, mesas dobráveis, rádio e outros equipamentos de comando e controle.

A VBE PC M577 é equipada, ainda, com um gerador diesel externo, montado na frente da viatura, que desenvolve 7 KW para fornecer energia de 24 volts e 110/220 volts. O gerador tem condições de alimentar todos os sistemas eletrônicos e equipamentos de comunicação quando o motor principal do M577 estiver desligado. Além disso, esse gerador pode ser removido do veículo usando uma talha e, assim, ser usado como uma unidade estacionária. A energia gerada por ele também pode ser exportada para outros fins. Um único gerador tem capacidade de fornecer energia suficiente para 02 (duas) VBE.

Figura 2: Viatura Blindada Especial Posto de Comando M577 A2
Fonte: O autor

 

VBCCC Type 96 (China)


2º Sgt PATRIC - CI Bld

Atualmente, as divisões blindadas dentro do Exército de Libertação Popular da China estão equipadas com 2.500 Viaturas Blindadas de Combate Carro de Combate Type 96 (VBCCC Type 96).

O Carro de Combate começou a ser produzido no ano de 1997, a partir de algumas modificações do Type 85, estendendo-se até o ano de 2005. Ele foi equipado com Sitema de Controle de Tiro computadorizado, telêmetro laser e sistema de rastreamento de alvos automático. O Type 96 pode atingir alvos em movimento e parados com alta espectativa de impacto no primeiro tiro, estando o CC parado ou em movimento. Ele também é equipado com um sistema de visão noturna com intensificador de imagem.

Figura 1: Type 96 em exercício de tiro
Fonte: https://21stcenturyasianarmsrace.com

A guarnição do Type 96 é composta por três militares: comandandente, atirador e motorista. Não há necessidade de um auxiliar do atirador tendo em vista que o carregamento do canhão é automático. Com quase 42 toneladas, o Type 96 é movido por um motor a diesel turboalimentado, que desenvolve 1000 hp, podendo alcançar, assim, velocidade de 57km/h. O CC tem autonomia de 400km, que pode aumentar para 600km ao se adicionar tanques de combustível externos.

O armamento principal do Type 96 é o canhão 2A46M L/51 125mm com carregamento automático. O CC tem capacidade total de 42 munições podendo disparar de 6 a 8 tiros por minuto. O armamento secundário é semelhante a todos os tanques russos e chineses, ou seja, é composto por uma metralhadora coaxial de 7,62 mm e outra metralhadora de 12,7 mm, montada na parte superior da torre. Além disso, possui 12 lançadores de granadas fumígenas.

Para fins de proteção, o Type 96 possui blindagem de aço composta, na parte frontal estão montados três módulos de blindagem compostos conectados por parafusos. Eles podem ser substituídos rapidamente quando danificados ou para upgrades, o que é uma solução altamente flexível. O CC conta ainda com um dispositivo que injeta combustível nos tubos de escape quentes para criar uma nuvem de fumaça como medida de proteção.

Figura 2: Type 96A com camuflagem digital
Fonte: www.tanks-encyclopedia.com

No ano de 2006, foi apresentada a versão Type 96A (conhecida também por 96G), equipado com blindagem reativa explosiva, o que aumentou a tonelagem do CC, e também foi instalado um sistema de visão termal para o atirador. Em 2016, outra versão surgiu, trata-se do Type 96B, que além de melhorias na blindagem e na caixa de transmissão de marchas, melhorou o motor, passando para uma capacidade de 1200hp.

Comparativo entre as versões:

Fonte: http://www.military-today.com/tanks/type_96.html

https://thaimilitaryandasianregion.wordpress.com

VIATURA BLINDADA DE COMBATE DE FUZILEIRO K-21(COREA DO SUL)


Kamila Flôres Ruas - UFSM

Mirella Tavares Joels - UFSM

A Viatura Blindada de Combate de Fuzileiros K-21 (VBC Fuz K-21) foi produzida em 2009 para substituir, a partir do ano seguinte, os blindados sul coreanos da série KIFV/K-200. Ela foi projetada por empresas do setor de Defesa Sul Coreano e pela empresa coreana DOOSAN Infracore, construtora local dos blindados BMP-3 russo. Os K-21 foram entregues ao Exército da República da Coreia custando 3,5 milhões de dólares cada, sendo também comercializados para outros dois países: Indonésia e Malásia.

O K-21 é uma Viatura Blindada de Combate de Fuzileiro (VBC Fuz) que tem o objetivo de transportar grupos de combate ao campo de batalha e fornecer apoio de fogo. A construção do K-21 foi desenvolvida em fibra de vidro para reduzir seu peso e permitir uma maior mobilidade sem a necessidade de um motor muito pesado. Mesmo assim, o motor possui grande potência, sendo capaz de cruzar obstáculos e, também, atravessar a água.

Figura 1: VBC Fuz K-21
Fonte: http://www.forte.jor.br/2010/08/28/k21/

A guarnição é constituída por três militares e possui a capacidade de transportar nove fuzileiros. O K-21 oferece grande proteção para a tropa, pois possui blindagem composta e sistema de proteção ativa que podem detectar o ataque do inimigo.

O K-21 possui um motor de 740Hp, obtendo uma relação potência/peso de 29,2 hp/ton e autonomia de 500km. Ele é mais rápido que outras VBC Fuz, como o Bradley americano, o Puma alemão e o CV90 sueco.

Em relação à blindagem, por ser feita com material composto em camadas, ela pode resistir, na parte frontal, a munições com poder de penetração de 50mm a 1000m e, na parte lateral, a disparos com penetração de 25mm a 1000m. Com essas características, o K-21 passa a possuir o mesmo nível de sobrevivência do M2 Bradley e a superar o BMP-3 russo.

Fonte: www.armyrecognition.com/south_korea...army.../index.php

www.army-technology.com/projects/k21-fighting-vehicle/

registrado em:
Fim do conteúdo da página