Ir direto para menu de acessibilidade.

GTranslate

Portuguese English Spanish

Opções de acessibilidade

Início do conteúdo da página

A Forja 77

Acessos: 828

L-ATV (Novo Veículo Tático Leve do Exército Americano)


Cap CASTILHOS ALMEIDA – CI Bld

O Centro de Excelência em Manobra (Maneuver Center Of Excellence – McoE) do Exército dos Estados Unidos (US Army) atualizou, no ínicio deste ano, os quadros de organização de pessoal e material das brigadas de combate. Tal atualização contou – dentre outros fatores – com a adoção do novo Veículo Tático Leve (Joint Light Tactical Vehicle – JLTV), o qual vem para substituir a consagrada viatura multipropósito HMMWV (High Mobility Multipurpose Wheeled Vehicle; conhecida internacionalmente como: HUMVEE.

Após lições aprendidas em sua campanha no Iraque em 2006, o Exército Americano decidiu adotar um novo modelo de viatura. O HUMVEE foi desenvolvido para ter grande mobilidade e apresentava pouca blindagem e baixa taxa de sobrevivência diante de Artefatos Explosivos Improvisados. Esta viatura só era capaz de receber kits de blindagem adicional lateral, e mesmo nestas condições, não garantia a sobrevivência diante de ameaça sob o veículo.

Diante deste quadro, o exército estadounidense gastou cerca de U$50 bilhões no desenvolvimento e compra de viaturas blindadas que atendesse as demandas da tropa – visando a campanha no Afeganistão.

 

Figura 1: L-ATV da Oshkosoh Defense equipado com Sistemas Remotos de Armas e Sensor de Alerta Laser da empresa Boeing
Fonte: www.oshkoshdefense.com
 

A empresa Oshkosh Defense apresentou a primeira versão do L-ATV em 2011. Desde então, a plataforma diminuiu um terço de sua altura e peso sem, no entanto, perder capacidade de garantia de sobrevida à tropa.

A versão comprada pelo exército americano é uma viatura multipropósito, capaz de ser aerotransportada por todas as aeronaves de transporte da Força Aérea Americana e compatível com uma variada gama de sistemas de armas, tais como: o Sistema Remoto de Armas (Remote Weapon System – RWS ) Protector LW 30 da Kongsberg e lançador de mísseis Hellfire M299. Ainda, possui compatibilidade com o sistema de proteção ativo Trophy e o sistema de detecção Laser da Boeing. Todas estas medidas de proteção e potencial ofensivo fazem da viatura uma versátil e moderna viatura para atuar em todos os propósitos de emprego da Força Terrestre norteamericana.

Atualmente, 3.430 viaturas já foram compradas e estão sendo entregues de um contrato que prevê a impressionante entrega de 49.099 viaturas para o Exército – sem mencionar as 5500 viaturas para os Fuzileiros Navais – até o ano de 2020.

 

Figura 2: L-ATV equipado com Sistemas de Armas M153 CROWS II e metralhadora .50
Fonte: www.oshkoshdefense.com
 

A viatura conta com diversas tecnologias que garantem a mobilidade fora de estrada como o patenteado e consolidado sistema de suspensão TAK-4i (Intelligente Indenpendent Suspension System), o qual conta com uma regulagem computadorazida (ligada ao barramento CAN da viatura). Conta, também com o CORE 1080 Crew Protection System, que é o Sistema de Proteção da Tripulação, em tradução livre, que congrega: desenho e material do chassi desenvolvido para absorver todo tipo de impacto e explosões, assentos e sistema de absorção de impactos individuais, um moderno sistema de redirecionamento e defleção de impactos, sistema de extinção automática de incêndios e ameaças QBN e um sistema integrado de alerta para ameaças. Tais sistemas representam o estado da arte em tecnologia de garantia de sobrevivência, pois possibilitam maior expectativa de sobrevivência com menor blindagem, o que garante uma maior mobilidade e autonomia, além da diminuida necessidade de manutenção.

Fonte:
           www.oshkoshdefense.com
           www.army-technology.com
           www.defensenews.com

 

 

VBCCC Challenger 2


3º Sgt SANTI – CI Bld

O VBCCC Challenger 2 é o principal carro de combate utilizado pelos exércitos do Reino Unido e de Omã. Sua fabricante, a empresa Vickers Defense Systems (BAE Systems), afirma ser o carro mais confiável do mundo. Em 1991, o Ministério da Defesa Inglês fez um pedido de £ 520 milhões para 127 Carros de Combate (CC) Challenger 2 (MBT), entre peças de reposição e veículos de reparo. Outra remessa foi solicitada em 1994, ao custo de £ 800 milhões por 259 unidades. O carro é equipado com a mais recente variante da blindagem “Dorchester”, derivada da “Chobham”. Versões antigas desta blindagem foram usadas em carros como o Challenger 1.

 

Figura 1: VBCCC Challenger 2
Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Challenger_2
 

O VBCCC Challenger 2 possui 8,3 m de comprimento. Com o tubo do canhão à frente chega a 11,50 m. A largura é de 3,5 m, chegando a 4,2 m com aplicação da blindagem adicional. Sua altura é de 2,5 m, pesa 62,5 toneladas, e conta com uma suspensão hidropneumática. Seu conjunto de força motor Perkins CV-12 Diesel, com 1.200 hp de potência atinge 59 km/h de velocidade máxima e o carro possui uma autonomia de 450 km. Sua guarnição é composta por 4 militares (comandante, atirador, auxiliar do atirador e motorista).

O Challenger 2 é equipado com canhão L30 de 120 mm da BAE Systems Land Systems (antiga RO Defense). Em janeiro de 2004, a Land Systems recebeu um contrato para desenvolver um novo canhão de 120 mm para os CC Challenger do Exército Britânico. Nos termos do contrato, um Challenger 2 foi armado com o canhão Rheinmetall L55. O canhão L30 é feito de aço refinado com eletro-escória (ESR) e é isolada com uma manga térmica. A torreta é capaz de rotação de 360°, e o alcance de elevação da arma é de -10° a + 20°.

 

Figura 2: VBCCC Challenger 2
Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Challenger_2
 

Há capacidade de armazenamento de 50 projéteis de 120mm. O canhão L30 também pode disparar munições cinéticas de urânio empobrecido. O controle do canhão é fornecido por um sistema de controle e estabilização totalmente elétrico da BAE Systems. O carro também está armado com uma metralhadora coaxial de 7,62 mm (MG) e também uma metralhadora 7,62 mm montada em cúpula para o comandante do carro. Em cada lado da torre do Challenger 2, há cinco lançadores de granadas fumígenos (L8).

O VBCCC Challenger 2E, o mais recente modelo de desenvolvimento, foi projetado para o mercado de exportação e é adequado para condições ambientais e climáticas adversas. A principal diferença, é que a versão 2E está equipada com um motor de 1500hp, e alguns equipamentos ópticos de origem francesa. Com um motor mais compacto o 2E possui maiores autonomia e velocidade máxima que a versão 2. O 2E foi amplamente testado na Grécia, no Catar e na Arábia Saudita.

Fonte:
           https://armour.ws/challenger-2-tank/
           https://www.army-technology.com/projects/challenger2

 

 

VBCCC Type 98


1º Sgt PATRIC - CI Bld

Em 1996, um pequeno lote do Type 98 foi entregue ao Exército Chinês para testes e avaliações. Os testes foram concluídos em 1998, e a Viatura Blindada de Combate (VBC) foi revelada publicamente em 1999 durante desfile do dia nacional, porém, não entrou em serviço operacional no Exército de Libertação Popular da China.

 

Figura 1: VBCCC Type 98
Fonte: http://www.military-oday.com/tanks/type_98.htm
 

A guarnição do Type 98 é composta por três militares, comandante à direita do canhão, atirador á esquerda e o motorista à frente, não há a necessidade de um auxiliar do atirador tendo em vista que o carregamento do canhão é automático. O comandante tem uma torreta rotativa com escotilha, rodeada de periscópios fixos, bem como um periscópio totalmente estabilizado ZTZ88 (zoom x 1.5) com canal de visão noturna integrado (zoom x 7,2). O atirador tem um periscópio estabilizado primário (zoom x 8) com telêmetro laser integrado e canal dia/noite (zoom x3.8), além disso, um canal de controle para o sistema de mísseis guiados.

Com 52 toneladas, o Type 98 é movido por um motor turbo diesel, que desenvolve 1200 hp, podendo alcançar assim velocidade de aproximadamente 70km/h. O Carro de Combate (CC) tem autonomia de 450km, que pode ser aumentado para 600km, adicionados os tanques de combustível externos.

O armamento principal do Type 98 é o canhão 125mm BK, estabilizado com carregamento automático, o CC tem capacidade total de 63 munições (41 no chassi e 22 no carregador) podendo disparar até oito tiros por minuto. O armamento secundário é composto por uma metralhadora coaxial de 7,62 mm e outra metralhadora de 12,7 mm montada na parte superior da torre. Além disso, possui 10 lançadores de granadas fumígenas.

 

Figura 2: VBCCC Type 98 – sistema de geração de fumaça
Fonte: http://fighting-vehicles.com/type-98-tank/#jp-ca rousel-1737
 

O Type 98 é capaz de lançar mísseis guiados antitanques da mesma maneira que projéteis comuns, sendo compatível com o míssil Sniper AT-11 (9M119) russo.

Para fins de proteção, a VBC possui blindagem de aço composta e módulos de blindagem reativa ERA. Conta também com uma proteção laser de alta potência usada para interromper o sinal de míssil, desativar optrônicos de observação inimigos, além de danificar a visão do atirador inimigo.

Aparentemente, o Type 98 nunca foi planejado para a produção em massa, mas como um veículo de pré-produção para o Type 99.

Fonte:
           http://www.military-today.com/tanks/type_96.html
           http://fighting-vehicles.com/type-98-tank/

 

 

MMP (Missile Moyenne Portée) – Míssil de Médio Alcance


1º Sgt AMARAL – CI Bld

O Missile de Moyenne Portée (MMP), foi desenvolvido a partir de 2009, pelo consórcio MBDA Missile System, entrou em serviço em 2017, com a finalidade de atender as necessidades das Forças Armadas Francesas que pretendia substituir o Míssil Milan (guiado por fio - 2º Geração), que já se mostrava com algumas limitações no contexto do combate moderno.

 

Figura 1: VMMP - Sistema de armas de 5º Geração
Fonte: https://www.mbda-systems.com/
 

O MMP é considerado um míssil de médio alcance de 5º geração (atire e esqueça), calibre 140 mm, leve e portátil, podendo ser conduzido por 2 fuzileiros. Também pode ser instalado e empregado sobre plataforma veícular, oferece capacidade de emprego em ambiente confinado, é capaz de destruir alvos parados ou em movimento com o mínimo de danos colaterais à distâncias de até 4 Km, tendo em vista sua excelente precisão.

O sistema de armas MMP pode ser operado no modo atire e esqueça ou no modo man-in-the-loop (guiado pelo operador, permitindo a orientação do míssil até o alvo).

A ogiva tandem multiuso, fabricada pela Saab Bofors Dynamics Switzerland (SBDS), tem capacidade de penetração de 1.000 milímetros em blindagem homogênea (Rolled Homogeneous Armour - RHA) e 2.000 mm em concreto, proporcionando maior letalidade a uma grande variedade de alvos terrestres.

 

Figura 2: O MMP instalado na viatura
Fonte: https://www.mbda-systems.com
 

O programa estabelece o fornecimento de até 1.750 mísseis e 400 postos de tiro às Forças Armadas Francesas até 2025.

O sistema de armas MMP oferece, principalmente, confiabilidade na redução de danos colaterais a civis e as tropas amigas em ambiente humanizado, tornando-se uma arma de apoio importante para o combate.

Fonte:
           www.mbda-systems.com
           www.military-today.com/missiles.htm

registrado em:
Fim do conteúdo da página