Ir direto para menu de acessibilidade.

GTranslate

Portuguese English Spanish

Opções de acessibilidade

Início do conteúdo da página

A Forja 75

Acessos: 985

T-14 ARMATA


2º Sgt PATRIC - CI Bld

Em 2015 foram apresentados na Praça Vermelha, em Moscou-Russia, durante desfile militar do Dia da Vitória, os primeiros 07 carros de combate T-14 Armata, do lote de pré-produção.

O carro de combate é dividido em três partes: compartimento para guarnição, compartimento de combate e conjunto de força. Sua guarnição é composta por 03 militares, sendo o comandante à direita, o atirador à esquerda e o motorista ao centro, todos em um compartimento no chassi, uma espécie de capsula fortemente blindada com aproximadamente 900 mm de proteção.

Figura 1: VBCCC T-14 Armata
Fonte: https://thaimilitaryandasianregion.wordpress.com

 

Tendo em vista o municiamento ser automático, não há necessidade do auxiliar do atirador.

Tanto o Comandante de carro como o motorista possuem escotilhas, sendo que o motorista não possui periscópios, ficando a condução escotilhada através de câmeras.

Com 48 toneladas, o T-14 é impulsionado por um motor diesel Chelyabin SK A-85-3A em X, o qual proporciona uma potência de até 1500 hp, podendo assim alcançar velocidades de 80 a 90 km/h. Para alimentar esse motor e chegar à autonomia de aproximadamente 500km, o carro conta com dois tanques de combustível externos que ao contrário dos tanques descartáveis utilizados nos carros russos anteriores, esses são fixos. Portanto, provavelmente serão consumidos primeiro reduzindo a vulnerabilidades no combate, possuindo ainda mais um tanque interno.

O armamento principal do T-14 é o canhão 2A82-M1 de alma lisa e calibre125 mm, o qual não só possui melhores rendimentos que os canhões 120mm empregados pelos carros da OTAN (quanto ao alcance e penetração), como também tem a capacidade de disparar munição APDSFS, HEAT, e mísseis guiados por laser, entre outras munições em desenvolvimento. Além disso, segundo o fabricante,o canhão poderia ser substituído, no futuro, por um de calibre 152mm.

Como armamento secundário o carro apresenta uma metralhadora PKTM calibre 7,62mm, montada em uma estação remota na parte superior da torre.

No que se refere ao controle de tiro e aquisição de alvos, o T-14 possui um periscópio panorâmico para o comandante, e o atirador realiza a busca e combate de alvos através de seu próprio aparelho de pontaria, o qual está envolucrado ao lado esquerdo do canhão. Nesta posição o periscópio está protegido de tiros de armas de pequenos calibres e estilhaços de artilharia.

A configuração dos sistemas optrônicos permite ao T-14 a capacidade de o comandante e atirador possuírem sistemas de busca, telemetria laser e visão noturna/termal independentes.

Para fins de proteção, no desenvolvimento do carro, uma nova chapa de aço foi criada, chamada 44C-SV-W. Acredita-se ser mais leve que o aço normal e foi usada no intuito de reduzir o peso do veículo, mantendo a proteção. Na parte frontal e superior do CC foram adicionadas uma compacta de aço e cerâmica e outra camada de blindagem reativa explosiva, referida pela Rússia como "modular"(MALAKHIT).

Essa camada modular pode ainda ser utilizada nas laterais no carro, não só na parte frontal, dependendo da missão, esta blindagem oferece níveis de proteção de 1000-1100RHA contra munição APFSDS e 1200-1400RHA contra HEAT.

Figura 2: VBCCC T-14 Armata
Fonte: https://thaimilitaryandasianregion.wordpress.com

 

Além de possuir a proteção blindada reforçada, o T-14 possui um sistema de proteção ativa(APS) AFGANIT, que consiste em sensores e lançadores de granadas explosivas e fumígenas. Com a ajuda dos sensores dos radares, o computador balístico identifica a ameaça e determina qual granada irá utilizar. Quando a ameaça é detectada, a torre gira automaticamente permitindo que o sistema de proteção seja ativado.

Ao lançar uma carga explosiva, essa explode e destruirá a ameaça a uma distância segura, mantendo o CC sem danos. Essas contramedidas chamadas hard kill são projetadas para proteger o carro de mísseis de 3ª e 4ª geração, como mísseis de ataque direto Hellfire, TOW e BILL, ou Brimstone, JAGM, Javelin ou Spike.

Quando acionados os lançadores de fumígenos, criam uma cortina de fumaça espessa e multiespectral, para combater em diferentes comprimentos de ondas eletromagnéticas, tais como laser, infravermelho, sistema de radares, etc....

Em resumo, o carro possui sistema de proteção 360º e contra vetores aéreos com seus radares e sensores, no entanto, não está voltado para disparar para o alto buscando defender-se de munições de ataque aéreo. Várias fontes indicam que o Armata tem a capacidade de detectar, rastrear e localizar 40 alvos terrestres e 25 aéreos, simultaneamente.

Em dezembro de 2017, o Ministério da Defesa Russo ordenou a criação de dois batalhões de carros de combates, cada um com 40 T-14 mais os veículos de apoio.

 
 
 
 
 
 
Fonte: https://thaimilitaryandasianregion.wordpress.com

 

 

VIATURA BLINDADA DE TRANSPORTE ESPECIAL REMUNICIADORA M992A2


1º Sgt AMARAL - CI Bld

O M992A2 é uma viatura blindada de remuniciamento, de origem norte americana, que entrou em serviço em 1982. Ela foi fabricada sobre o mesmo chassi da VBCOAP M109 A5 e, em sua versão original, possui um transportador hidráulico para a transferência das munições. Com capacidade para 96 munições completas, sendo 03 (três) Granadas HE M 712 Copperhead guiada a laser, essa viatura remuniciadora sobre lagartas tem capacidade de acompanhar e ressuprir os obuseiros M109, otimizando seu emprego e aumentando assim a capacidade de Apoio de Fogo dos Grupos de Artilharia de Campanha Autopropulsado.

Figura 1: VBTE REmun M992A2
Fonte: https://thaimilitaryandasianregion.wordpress.com

 A partir do segundo semestre de 2018, o Exército Brasileiro receberá um lote com 40 unidades da VBTE Remun M992A2. Ao chegarem ao Brasil as viaturas irão passar por uma manutenção no Parque Regional de Manutenção da 5ª Região Militar e, em seguida, as primeiras viaturas deverão ser encaminhadas aos 3º e 5º GAC Ap, localizados nas cidades de Santa Maria-RS e Curitiba-PR, respectivamente.

Figura 2: VBTE Remun M992A2 na versão original
Fonte: Tecnologia e Defesa

 

O exército americano alterou a configuração original de transferência das munições, de hidráulico para manual, haja vista que o sistema hidráulico é mais lento que o remuniciamento manual, executado pela guarnição da viatura. Para ser utilizada no modo manual, foi retirado o transportador hidráulico e alterado o sentido das aberturas das portas, a fim de proporcionar proteção aos militares que realizam o ressuprimento.

 

Fonte: http://tecnodefesa.com.br/m992a2-remuniciador-dos-m109-a5br-novo-blindado-para-o-exercito-brasileiro/http://www.forte.jor.br/2018/03/23/exercito-brasileiro-ganha-viaturas-remuniciadoras-dos-estados-unidos/TM 9-2350-293-10 Operator's Manual for Carrier Ammunition Tracked M992A2. Dezembro de 2001 C 6-86 Serviço da Peça do Obuseiro 155 mm M 109 A3. 2003
registrado em:
Fim do conteúdo da página